Linux

De Ubuntupedia
Ir para: navegação, pesquisa

Linux é um sistema operativo para computadores. É um dos mais proeminentes exemplos de software livre e desenvolvimento em código aberto. Ao contrário de sistemas operativos como o Microsoft Windows ou o Mac OS, todo o código-fonte está disponível para o público de forma a que qualquer pessoa pode utilizar livremente, estudar, modificar incluir em outros programas ou redistribuir. Pode ser usado para qualquer fim, comercial ou não comercial e pode ser oferecido ou mesmo vendido. Esta liberdade permite que existam "Linuxes" que são totalmente gratuitos enquanto outros são pagos.

Em sentido mais estrito o termo "Linux" refere-se ao Kernel Linux, mas é mais utilizado para descrever os sistemas operativos semelhantes aos Unix, (também conhecidos por GNU/Linux).

Geralmente uma distribuição Linux contém enormes quantidades de aplicações de software com o sistema central e permite uma instalação mais amiga do utilizador, tal como actualizações.

No seu início o Linux foi desenvolvido e utilizado principalmente por entusiastas. Actualmente o Linux ganhou o apoio de corporações tais como a IBM, a Hewlett-Packard e a Novell para utilizar em servidores e está a ganhar popularidade no mercado dos computadores pessoais.

Os analistas atribuem o seu sucesso ao facto de ser independente, ter um custo baixo, ser seguro e fiável:

  1. Por ser indepedente qualquer pessoa que conheça o sistema a fundo pode prestar assistência técnica. Como o código é aberto, quaquer pesso pode aprender o sistema.
  2. Tem um custo baixo, na grande maioria dos casos o software é gratuito.
  3. É seguro porque é transparente, ou seja, os problemas são rápidamente detectados e corrigidos.
  4. É fiável. Uma versão estável de Linux pode correr num computador durante meses, sem interrupção.


Distribuições

O Linux normalmente vem como parte integrante de uma distribuição. As distribuições são preparadas por indivíduos, equipas de voluntários ou organizações profissionais. Além do sistema central e dos drivers, estas incluem também programas de aplicações, tais como programas para configurar o seu computador.

Existem mais de 450 distribuições de linux (Consultar). As distribuições são construídas com os mais diferentes propósitos e muitas incluem apenas software livre

Uma distribuição típica para uso geral incluí o kernel, algumas bibliotecas de software e ferramentas diversas. Incluem ainda programas de escritório, fotografia, etc... Incluem ainda programas compiladores que permitem preparar programas para utilizar na distribuição.

Uma grande variedade de screenshots de várias distribuições podem ser vistos aqui.

Como muitas distribuições são gratuitas o utilizador pode experimentar várias para ver quais gosta mais. Para escolher uma distribuição é fundamental esolher uma que funcione com o seu hardware e que tenha muitas aplicações pre-compiladas.

Aplicações

No passado um utilizador necessitava um conhecimento significativo em computadores para conseguir instalar e configurar o Linux. Devido a este facto e por se sentirem atraídos pela possibilidade de acesso ao interior do sistema os utilizadores linux tendiam a ser mais orientados tecnológicamente do que os utilizadores do Microsoft Windows ou do Mac OS, normalmente eram apelidados de "hacker" ou "geek".

Este esterotipo tem sido desfeito em anos recentes com a cada vez maior capacidade do software de ser amigo do utilizador de muitas distribuições.

O Linux fez avanços consideráveis em software para servidores, imagem, desenho web e está actualmente bem posicionado no mercado dos computadores pessoais.

Usabilidade e quota de mercado

Anigamente era visto como um sistema operativo que apenas especialistas em informática podiam usar. Actualmente muitas distribuições tornaram-se amigas do utilizador com muitos interfaces gráficos e aplicações.

O share no mercado de desktops está rápidamente a crescer. De acordo com a empresa IDC, em 2002, 25% dos servidores e 2,8% dos computadores pessoais já estavam a funcionar em Linux. Contudo os argumentos das vantagens do Linux relativamente a custos mais baixos, menos vulnerabilidades de segurança e mais lberdade de utilização levou a uma adopção do Linux por empresas e governos. O mercado Linux está entre os de crescimento mais rápido e estima-se que ultrapasse os $35,7 mil milhões de dólares em 2008. (Consultar)

O Linux e outros prjectos de software livre têm sido criticados recentemente por não irem o sufucientemente longe em termos de de assegurar a usabilidade. O Linux tem sido considerado mais difícil de utilizar do que o Windows ou o mac; contudo este facto tem melhorado considerávelmente. Aplicações que correm em interface gráfico como o Gnome ou o KDE são muito emelhantes a outras que correm em outros sistemas operativos.

Enquanto algumas aplicações não podem funcionar, normalmente existe uma aplicação substituta que funciona. Um número crescente de vendedores de software está a apoiar o Linux e o número de aplicações open source para linux está a crescer rápidamente.

Além disso algum software para o Windows pode funcionar em Linux através de programas emuladores tal como o Wine.

Ver ainda